sábado, 24 de outubro de 2009

Alteração... de volta ao início!

Olá a todos.

Lembram-se disto?

"Ah e tal, mais interesse operativo." É certo, mas também mais confusão e mais linhas em cima da maqueta!
Recebi ontem um CD de fotos da maqueta de Manfred Rüger e depois de as ver e de me sentir inspirado... decidi vou voltar atrás!
Ai vão as fotos:

Começou a destruição! O que vale é que acortiça estava colada com cola branca!! Foi só colocar um pouco de água morna para amolecer.


O ensaio. A maqueta assim fica mais "leve" e mais interessante.


Ai está o carril no sítio! Mas ainda não acabou!...

Pois é! Ainda não acabou. Estou a achar que há ali qualquer coisa que não está a combinar bem. Vou reformular a minha decoração... ou não...
Fiquem atentos!
Abraços!

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Nova entrada

Finalmente tenho uma 319 da RENFE. Só vos digo, a Startrain é excelente. Estou agradavelmente surpreendido com este material:



  1. Pintura muito bem acabada.
  2. Tampografias correctas e visíveis.
  3. Suave e silenciosa como seria de esperar (estou em crer que a base disto é KATO / Hobbytrain).
  4. Detalhes bastante interessantes para um modelo a 1:160
Foi oferecida, mas não me importava nada de a ter comprado!!! Foi só abri-la, colocar o descodificador, programar para andar a velocidades reduzidas sem "tremeliques", e toca a andar. falta fazer-lhe a rodagem!

Peço desculpa pela qualidade da foto, mas foi tirada um pouco à pressa.

Abraços a todos.

domingo, 11 de outubro de 2009

Mais umas fotos

Olá.
Hoje senti-me inspirado pelas fotos que vi da maqueta do Jacq Damen no fórum WorldRailFans e também através do site do Fritz Osterthun e decidi mais uma vez ligar a Nikon D40 para "bater mas chapas" ao módulo que está mais avançado.

Depois de umas boas dezenas, aqui ficam as minhas fotos:


A locomotiva Ce 6/8III número 13313 acaba de cruzar a estação com um comboio de mercadorias variado e pesado.


A VT98 continua mais um dia na sua luta habitual com a entrega dos passageiros a horas...


A vida vai continuando e evoluindo na pacata vila de Schanielburg!...

Regras de ouro:
 - Esquecer fotos do tipo "visão de helicópetro";
 - Nunca, mas NUNCA usar flash;
 - Apoiar a máquina com um tripé. Desta forma, conseguimos brincar com o modo manual das máquinas:
  • Corrigir a abertura da lente - quanto maior for o valor f-stop, teremos uma lente mais fechada, o que nos dará uma maior profundidade de campo;

  • A mudança indicada anteriormente irá fazer com que a máquina necessite de mais luz: Ou aumentamos a luz disponível sobre o assunto, ou damos mais tempo de exposição (sendo obrigadotório o uso do tripé) ou aumentamos o ISO (o que poderá provocar ruído nas fotos);

  • Utilizar o valor ISO mais baixo possível (a minha D40 não baixa do ISO200... está sempre nessa posição);

  • Muito importante: Ter iluminação correcta, de forma a não criar sombras.

Devo lembrar que não quero ensinar ninguém a tirar fotos às maquetas, mas estas são as minhas conclusões, depois de usar muito a minha D40.

Espero que gostem das fotos.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

O módulo 1...

Avança. Devagar mas avança.

A vantagem de trabalhar por módulos cada vez mais se mostra. Posso-me dedicar a fundo a este módulo, sem pensar no seguinte, e chegar quase ao fim da decoração deste.

Textura do terreno = Busch 7527
Relva = Mistura de várias tonalidades NOCH, aplicado com GrasMaster
Balastro = Cinzento fino, refª 95650 da gama Woodland Scenics distribuída pela Noch e colado com Scenic Cement, também da mesma marca (excelente produto)
Solipas pintadas a aerógrafo com castanho afinado, e depois a ferrugem pintada com Vallejo 984



As árvores que vão ficar não são estas… Pretendo fazer algumas com o kit de ramos secos da NOCH. Estas foram só para dar algum preenchimento ao cenário, que eram sobras de projecto anteriores.



O maquinista avança depois de o sinal ter passado a verde. São 8h da manhã em Schanielburg, e o VT98 acabou de largar os passageiros que se dirigem aos seus postos de trabalho... A vida continua!...

Os cais foram feitos com perfis de balsa de 2,5mm cortados com 8mm de altura e colados na vertical. Depois enchi o fundo com cartão-maqueta (aquela sanduíche de cartão com espuma no meio) e enchi com gesso até cima. sempre em camadas finas. Quando secou, gravei as pedras que ficam na extermidade pintando-as de branco e o cais de cinzento com um pouco de castanho. Para dar um efeito de velho e sujo, diluí bastante um preto acrilico com água e aplicquei com uma esponja!

Abraço a todos.