quinta-feira, 26 de abril de 2012

Finalmente comboiada!

Olá a todos.


Depois de uma pausa na comboiada, decidi hoje colocar um novo artigo sobre modelismo ferroviário.


Durante as trocas habituais de e-mails com o Carlos Filipe, este caro companheiro de modelismo apresentou uma das últimas paranóias (no bom sentido) no Japão: Mini-módulos para escala N.


Mas quando falo em mini, falo mesmo em módulos de 31 x 15 cm ou 62 x 15 cm.

Continuo sem perceber porque é que a malta por cá só faz maquetas gigantes, sem fim, quando se podem fazer umas coisas pequenas, de fácil e rápida execução, com um orçamento bastante reduzido.



"Ah, mas 15 x 31 ou por 62 cm é muito curto, e não dá para nada...." A minha resposta é: ENGANAM-SE REDONDAMENTE. É excelente o resultado final. E para quem não quer entrar no DCC, o analógico funciona perfeitamente, sem problema algum de funcionamento. 


Em bruto primeiro:




Acabados.






São mesmo mini-módulos. O Carlos está a preparar umas normas, coisa que eu irei também fazer, para serem fotografias minhas.


Os módulos curvos também são super simples: 29 x 29 cm... com um corte na diagonal de forma a que se consiga encontrar os módulos rectos.


Uma fotografia dos mesmos:


Isto é delicioso. Já pensaram nas hipóteses que isto dá? Uma maquete em constante crescimento, que pode ser montada de formas diferentes. E o melhor é que se pode desmontar e arrumar tudo dentro de uma caixa debaixo da cama, ou então levar essa mesma caixa para uma exposição. E pode criar estes módulos, sentados na sala... são tão pequenos que não precisamos de nada demais.


Mais umas fotos, durante uma exposição:



Para terminar um video:


Vale apena pesquisar um pouco sobre este assunto. Eu cá vou pesquisar mesmo a sério...


(fotos retiradas de http://space.geocities.jp/popoya2008/menu.html

5 comentários:

Ricardo Moreira disse...

Agora que já temos fotos... UAU!

E como é que eles fixam os módulos uns aos outros? Grampos? Parafusos?

Luís Daniel Lopes disse...

Viva Ricardo.

Os módulos são tão pequenos e leves, que só os clips que UNiTRACK tem, para além das eclisas, servem para agarrar os módulos uns aos outros...

Esquece grampos, parafusos e porcas.

Uma mesa, módulos lá para cima, ligas um transformador e toca a andar...

Ricardo Moreira disse...

E assim se resolve também o problema da passagem de corrente!

Luís Daniel Lopes disse...

Ricardo vê aqui em:

http://space.geocities.jp/popoya2008/c.html

Thassius disse...

Saludos desde España y feliz año

Mira este enlace sobre los mini T-Track
http://www.rmweb.co.uk/community/index.php?/topic/38509-japanese-prototype-n-scale-desktop-layout/